O Nordeste no Romance de 30

16:29

A década de 30 no Brasil foi marcada por grandes transformações econômicas e pela ascensão de Getúlio Vargas ao poder.Antes disso, não podemos esquecer que em 1929 ocorreu uma grave crise mundial, que comprometeu seriamente a exportação brasileira de café, gerando uma enorme insatisfação por parte da classe cafeicultora. É nesse período que algumas regiões do Brasil, como São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, irão passar por um maciço processo de industrialização. Contudo, a tal fase industrial não ocorrerá de maneira homogênea.

Romance de 30 escritores


José Lins | Jorge Amado | Graciliano Ramos | Rachel de Queiroz

Os anos 30 na literatura brasileira serão marcados especialmente pelo regionalismo e pela denúncia social e, inegavelmente no Romance de 30 o grande destaque serão os escritores nordestinos (Rachel de Queiroz, Graciliano Ramos, José Lins do Rego e Jorge Amado); todavia, no Sul, Érico Veríssimo e Dionélio Machado também produzirão interessantes obras.

A problemática da seca

Grande parte dos enredos de 30 são ambientados em cenários  marginalizados e esquecidos pela política brasileira da época. Nas histórias de Rachel e, sobretudo de Graciliano Ramos, a seca não é vista apenas sob o ponto de vista geo-climático; eles vão mais além, e tratam o problema de acordo com o prisma sociológico e antropológico.Em linhas gerais, para esses autores, a seca não era tão somente uma circunstância da natureza; ou por bem dizer, uma fatalidade.Ela estava - antes de tudo, intrinsecamente relacionada com a situação de abandono que tais regiões sofriam, não obtendo das forças governamentais nenhum tipo de subsídio ou programas que pudessem remediar e melhorar o padrão de vida ali estabelecido .

A Seca no Romance de 30

  Cena do filme Vidas Secas (1963)

''Olhou a catinga amarela, que o poente avermelhava. Se a seca chegasse, não ficaria planta verde. Arrepiou-se. Chegaria, naturalmente. Sempre tinha sido assim, desde que ele se entendera. E antes de se entender, antes de nascer, sucedera o mesmo - anos bons misturados com anos ruins. A desgraça estava em caminho, talvez andasse perto. Nem valia a pena trabalha''. Vidas Secas, Capítulo II- Fabiano.

Os personagens

E se boa parte das obras se passam no sertão, ninguém melhor que o sertanejo para figurar entre os papéis principais. São pessoas humildes, privadas de estudos e que servem como um grande espelho das angústias humanas. No entanto, não foi apenas o homem do semi-árido que ganhou foque no Romance de 30; o autor José Lins do Rego escreveu sobre os trabalhadores dos engenhos de cana-de- açúcar na Paraíba e, retratou igualmente a decadência desses engenhos e os impactos derivados da nova fase industrial nordestina.Todavia, é importante lembrar que as primeiras obras de José serão frutos das lembranças do tempo de criança, por isso, num primeiro momento, a ficção do autor ganha um tom de fantasia e suavidade.

Nordeste Romance de 30


Trabalhadores de vida urbana, por sua vez, entram em cena nos romances de Jorge Amado, que traz consigo um grande leque dos costumes e construção histórica do Sul da Bahia.

''Eu comecei a falar em Ilhéus, terra do cacau e do dinheiro, para onde iam levas de emigrantes. E como Ilhéus ficava apenas a dois dias de navio de Aracaju, elas consentiram que eu me jogasse numa manhã maravilhosa de luz, na terceira classe do 'Murtinho', rumo à terra do cacau, Eldorado em que os operários falavam como da terra de Canaã''. Cacau, Capítulo IV- A Viagem.


A escrita

Falar sobre as características de escrita do Romance de 30 pode ser algo complicado, posto que cada autor possui sua peculiaridade literária, mas, de maneira geral, nós podemos notar um estilo seco e direto em Graciliano e Rachel, e um outro tom mais lírico em Jorge Amado e José Lins do Rego.

Podemos concluir que essa fase em nossa literatura foi bastante produtiva e trouxe à tona temas espinhosos que o governo e elite brasileira insistiam em esconder.

Antiguinhas

29 comentários

  1. Ótimo texto! É interessante como nossos autores nordestinos quase não são falados no sudeste e por isso a ignorância quanto a nós é tão grande, achando que nordestino é burro e isso e aquilo, porém nunca leram uma obra de Jorge Amado, por exemplo. No processo de industrialização, enquanto tudo estava acontecendo no sul e no sudeste, o nordeste sofria com a seca e com a fome porém não ficamos para trás quanto a inteligência, vejo mais isso como um modo das pessoas se sentirem superiores de um jeito academicista, pois o homem rural, do nordeste é tão inteligente quanto sem precisar ter título! Afinal tivemos que nos adaptar ao meio para podermos sobreviver quando fomos abandonados depois da colonização, quando não queriam mais roubar a nossa terra.
    Viva a literatura nordestina!
    Beijo.

    www.misscal.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A literatura nordestina é absurdamente interessante e bonita.Aluísio, Augusto dos Anjos, João Cabral, Clarice Lispector (porque embora fosse ucraniana, ela se considerava nordestina), Ariano e tantos outros, trouxeram uma riqueza ímpar para a produção nacional.Eu detesto academicismo, adoro as temáticas abordadas, e principalmente, gosto muito das personagens.

      Beijos e viva sim, viva a literatura nordestina! ♥

      Excluir
  2. Adoro poesia e sou do nordeste. ♥
    Gostei de conhecer seu blog! Bjs ♥
    http://juliamodelodemodelo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, Júlia :) Beijão ^^

      Excluir
  3. Adoro Jorge Amado e Graciliano Ramos.
    Felizmente meu colégio obrigava a ler livros de autores brasileiros consagrados, então acabei conhecendo muita coisa boa!
    Li "Vidas Secas" no colégio. Foi bem impactante e triste. Uma realidade miserável.

    Beijos!

    Chiquereza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o enredo de Vidas Secas é bem triste, o filme também.

      Excluir
  4. Nossa, um melhor que o outro né ? Aliás, melhor não, mas cada um com seu jeito, sendo melhores todos.

    Adorei esse teu post.

    Beijo !

    | O Blog Que Não é Blog |

    | Instagram: @aquelenaoblog |

    | Canal no Youtube |

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Anna, cada um com jeitinho. <3

      Excluir
  5. Amado Jorge, meu amor!
    Junto com Machado são os meus autores preferidos sou fascinada pela sua escrita e como transcende várias informações com leve e se apropria da ironia e da critica de forma indireta e as vezes atrevida,rsr.
    Graciliano já me remete a uma tristeza, mas sua obra é linda impactante!

    Um beijo!

    ww.cantinhob.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Machado é o meu escritor brasileiro favorito *-* amo o Bruxo do Cosme Velho. <3

      Excluir
  6. Poesia muito linda. Sou nordestina de coração.

    mariadadicas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. A cultura do nordeste é riquíssima e admirável!!! Lindo texto!

    ❣ Blog ❣ www.amigadelicada.com ❥

    ResponderExcluir
  9. Muito legal!
    Beijos
    www.jessicarcoelho.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Gabriela,
    Eu pude ler Vidas Secas do Graciliano Ramos e O Quinze da Rachel de Queiroz. Gostei mais do Quinze.
    Bom final de semana!
    Big Beijos
    www.luluonthesky.com

    ResponderExcluir
  11. Eu nunca li Vidas Secas, teve uns momentos da minha vida escolar que discutimos esse livro e lemos alguns trechos, mas não a obra completa. Achei bem interessante isso de ver o contexto da época em que foi lançado e dessa questão bem regional e geoclimática. O post ficou muito bom :D


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Thay!

      O livro é bem rapidinho e bem fluído também.Vale a pena a leitura!

      Beijos

      Excluir
  12. Oiii
    Bom eu sou nordestina e amante da literatura e eu admiro muito quando um blogueiro fala sobre os escritores nordestinos *-*
    eu li O Quinze da Rachel e Vidas Secas

    beijoos
    transbor-dando.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rachel diva lacradora da literatura hahahah, tenho muito orgulho daquela mulher!

      Beijos

      Excluir
  13. Só coisa linda veio daí!! Adorei o post, nunca tinha parado para pensar na origem disso tudo.

    Beijos ♥

    Jéssica || Fashion Jacket
    www.fashionjacket.com.br

    ResponderExcluir
  14. Seu blog e esse texto são incríveis! Minha irmã está na fase do vestibular, vou mostrar pra ela <3

    Beijos

    http://www.nagarupadavespa.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oi Gabriela, eu conheço mais a obra de Jorge Amado e Graciliano Ramos. Ambas fantásticas, sem dúvida. Ainda fico devendo ler e conhecer melhor a literatura de Rachel de Queiroz e José Lins do Rego. Beijo querida :*

    http://naomemandeflores.com

    ResponderExcluir
  16. Confesso que não gosto deles, como de quase nada que a escola obrigava a ler. Acho que a forma como isso foi passado nas aulas de Literatura me desmotivaram, sabe? Não souberam abordar os temas para jovens de 15 a 17 anos. Mas sem dúvidas são todos autores brilhantes e que contribuíram muito em nossa cultura. Estudei a fundo Vidas Secas e a realidade do texto impressiona e chega a doer.

    Beijos/Xoxo.

    Anete Oliveira
    Blog Coisitas e Coisinhas
    Fan Page Coisitas e Coisinhas
    Instagram

    Beijos/Xoxo.

    Anete Oliveira
    Blog Coisitas e Coisinhas
    Fan Page Coisitas e Coisinhas
    Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu penso que a literatura é ensinada de uma maneira bastante arcaica e maçante nas escolas brasileiras.

      Excluir
  17. Bem lindo o post, não tinha lido nada sobre!
    bjoka http://diadebrilho.com

    ResponderExcluir
  18. Seu post ficou interessantíssimo! Estou muito sobre isso em literatura no ensino médio. A importância desses livros e desses autores é grande!
    bjs
    blogtrashrock.com

    ResponderExcluir
  19. Obrigada pela dica, eu vi sobre, mas na época no colégio.

    Beijos
    Ingrid Lemos Blog

    ResponderExcluir
  20. Que ótimo texto Gabi <3 Tão bom poder recordar um pouco da literatura nordestina e fatos sobre a nossa história, e você expõe tudo isso muito bem. Esse é um dos muitos motivos pelo qual seu blog é um dos meus favoritos <3

    Beijos, Pri
    vintage.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico extremamente feliz que tenha gostado, Pri ^^, a intenção será sempre melhorar! Um beijão ♥

      Excluir