Referências literárias em Lana Del Rey

19:30

Quem ouve Lana Del Rey, vira e mexe se depara com alguma influência literária ou da cultura vintage presente em suas músicas e clipes.Hoje em dia Lana não está tão impregnada do estilo de se vestir vintage como na época do álbum Born to Die, mesmo assim continua sendo fonte de inspiração para várias garotas.. Nessa  primeira parte eu me limitarei em referências literárias.

Lana del rey lolita


Lolita

Eis aqui uma das referências literárias mais fortes em Lana, quem não conhece o contexto do livro Lolita do escritor russo Vladimir Nabokov, eu fiz uma resenha sobre aqui.Basicamente a história gira em torno da obsessão de um professor de meia idade, chamado Humbert, por sua enteada Dolores, que ele intimante apelida de ''Lolita''.Tudo poderia ser menos complicado se Lolita não fosse uma menor de idade!

Há uma música chamada Off To The Races em que o refrão mescla alguns trechos criados por ela com frases do livro: ''Light of my life, fire of my loins'', que traduzido para o português seria algo como ''Luz da minha vida, fogo do meu lombo''.


Lana del rey lolita nabokov


Tirando essa referência explícita, há no decorrer da canção outras frases que lembram ao comportamento de Lolita, que gostava de pintar as unhas de vermelho e nadar na piscina enquanto era observada pelo padrasto: ''Swimming pool.Glimmering darling.White bikini off with my red nail polish''
E por que Lolita? Eu não sei se Lana costumava se envolver com caras mais velhos, mas em diversas músicas e clipes dela, nós vemos essa temática presente. Além de Off To The Races existe uma outra canção chamada *Lolita* que eu nem preciso explicar...O título fala por si só! 

E não para por aí! Na música Carmen nós vemos um tom bastante evocativo do eu-lírico em relação à personagem principal, que se assemelha e muito ao tom nostálgico de Humbert no livro do Nabokov.Além de ''Put Me In A Movie'' e ''1949'' também estarem conectadas com o enredo de Lolita.
Lolita Lana Del Rey



Walt Whitman

Withman foi um poeta americano do século 19 e  é bastante cultuado por Lana. Há uma música chamada Body Eletric que tem ligação direta com o poeta, já que o próprio autor tem um poema com esse mesmo nome, além disso, nessa canção Del Rey diz:'' Whitman is my daddy, Monaco's my mother.'' Não esquecendo que o refrão da música é parte do poema.


Laranja Mecânica

O romance Laranja Mecânica do escritor Anthony Burgess (1962), narra os dias conturbados em uma Inglaterra futurista e o quanto isso seria problemático socialmente. A obra está cheia de termos novos que passaram a ser usados desde então, entre eles ''ultra-violência'', que no livro era o tipo de divertimento que a gangue protagonista gostava de ter, tais como orgias, espancar mendigos, ''sexo surpresa'' etc. Para não passar em branco, o penúltimo álbum  lançado por Lana é intitulado ''Ultraviolence'' (uma das canções também).



Ainda sobre o álbum Ultraviolence, uma das faixas é Brooklyn Baby, canção esta que tem como inspiração a Geração Beat da Literatura.O bairro norte-americano do Brooklyn passou a ter bastante destaque nas narrações dos autores beat, e uma outra característica dessa vertente literária são os ideais de liberdade e revolta contra a sociedade conservadora estadunidense no pós-guerra. Aliás, esse movimento sempre se nota presente nos ideais das canções de Lana Del Rey, a canção Ride é um exemplo disso :'' Live fast. Die young. Be wild and have fun'', tradução:''Viva rápido. Morra jovem. Seja selvagem e se divirta''.

Pra finalizar, gostaria de dizer que também vemos no trabalho desenvolvido por ela. ligações com seu posicionamento religioso.Alusões a Jesus Cristo e Maria costumam ser frequentes.

Antiguinhas

17 comentários

  1. Oi Gabriela, eu não conheço muito a fundo as músicas da Lana del Rey, mas achei interessantíssimas as referências literárias. Fiquei até com vontade de ouvir os álbuns com mais atenção!

    http://naomemandeflores.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabi tudo bem? Eu conheço o seu blog a pouco tempo, mas sou apaixonada por ele. Gosto como você criou sua identidade e como seu conteúdo tem uma pitadinha de cultura, parabéns. Eu sou sua leitora e indico o seu blog nos meu favoritos do blog sem medo algum indico para que meus leitores conheçam boas páginas.
    Parabéns, volto sempre!


    www.cantinhob.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ingrid :), inclusive o seu blog é um dos meus favoritos também, vou colocá-lo no blogroll porque gosto da maneira como você fala de moda, arte e consegue misturar a beleza com temas socialmente engajados.

      Um beijão e obrigada pelo carinho!

      Excluir
  3. Sabe que eu nunca havia reparado nas canções dela? Vou começar de agora em diante, por que sua postagem me chamou bastante atenção. Tenha um final de semana abençoado, beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    paisagemdejanela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Paula, desejo um final de semana incrível para você também ^^

      Excluir
  4. Gente, que demais isso, o post ficou tão interessante. Eu sempre reparei que ela tinha uma pegada meio lolita, mas nunca tinha pensado a fundo sobre isso. Parabéns pelo post <3


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Thay! Acho muito legal essa relação entre música e literatura.

      Excluir
  5. Não conheço nada da Lana, mas achei esse post incrível, legal saber que ela se inspira em literatura.

    Beijos/Xoxo.

    Anete Oliveira
    Blog Coisitas e Coisinhas
    Fan Page Coisitas e Coisinhas
    Instagram

    ResponderExcluir
  6. Ahh que legal saber dessas coisas :)

    Adorei esse post amôura :)

    Beijos.

    | O Blog Que Não é Blog |

    | Canal no Youtube |

    ResponderExcluir
  7. Lana é meu amorzinho mas... Ela não leu Lolita direito. Ela tem vááárias músicas não-lançadas com o tema, mas fala como se Lolita fosse uma história de amor, sabe? Apesar disso, acho a música Lolita viciante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Amyh, ela meio que deu uma romantizada na história.

      Excluir
  8. Oi Gabriela,
    Não me identifico muito com a Lana Del Rey, mas adorei o seu post.
    Big Beijos
    LULU ON THE SKY

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto do estilo da Lana, ela consegue ser sexy sem ser vulgar. A voz dela é bem boa também, gosto de ouvir quando to relaxada. Nunca vi/li Lolita, mas de tanto o povo falar, me dá muita vontade de ver, é um filme pesado ou perturbador? Porque, sei lá né, envolve várias questões.

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem duas versões do filme, eu gosto muito da versão do Kubrick, mas a versão de 1997 é interessante em termos de fotografia.Nenhum dos dois filmes são perturbadores não.

      Excluir
  10. Eu to começando a ficar repetitiva nos meus comentários, Gabi! Mas você não cansa de me surpreender e mostrar O QUANTO a blogosfera pode ser cheia de cultura e personalidade! Fico boquiaberta com os temas que vc aborda e principalmente como fala sobre eles! Eu não conheço muitas musicas da Lana, mas achei MUITO interessante essa análise que você fez! Mais uma vez você está SUPER de parabéns!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Na. Muito obrigada de verdade por todo o carinho e pelos elogios.São comentários como o seus que me animam a continuar criando um conteúdo um pouco mais diferenciado aqui para o blog.

      Excluir
  11. Muito interessante! Nunca imaginei que a Lana Del Rey tivesse essa pegada. Muito atencioso da sua parte conseguir captar essas referências, imagino que deve gostar muito das músicas dela e de todas essas obras literárias.
    Fiquei doida de vontade de ler essas obras!

    Também reparei que tem muitos elogios no seu blog, muito merecidos! Parabéns pelo sucesso e que venha muito mais!

    Beijão!!

    ResponderExcluir